SISTEMAS

ESPECIAIS

BOLETIM

Saiba por e-mail as novidades do site.

Endereço de correio:

 

--- Clique Todo Dia para Colaborar! ---

Para obter material didático sobre outras áreas da biologia, acesse:

 

Questões discursivas (para assinantes) Transparências disponíveis (para assinantes)

SISTEMA REPRODUTOR

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

O sistema reprodutor masculino é formado por:

  • Testículos ou gônadas

  • Vias espermáticas: epidídimo, canal deferente, uretra.

  • Pênis

  • Escroto

  • Glândulas anexas: próstata, vesículas seminais, glândulas bulbouretrais.

Imagem: GOWDAK, Demétrio; GOWDAK, Luís Henrique. Atlas de Anatomia Humana. São Paulo, Ed. FTD, 1989.

Testículos: são as gônadas masculinas. Cada testículo é composto por um emaranhado de tubos, os ductos seminíferos Esses ductos são formados pelas células de Sértoli (ou de sustento) e pelo epitélio germinativo, onde ocorrerá a formação dos espermatozóides. Em meio aos ductos seminíferos, as células intersticiais ou de Leydig (nomenclatura antiga) produzem  os hormônios sexuais masculinos, sobretudo a testosterona, responsáveis pelo desenvolvimento dos órgãos genitais masculinos e dos caracteres sexuais secundários:

  • Estimulam os folículos pilosos para que façam crescer a barba masculina e o pêlo pubiano.
  • Estimulam o crescimento das glândulas sebáceas e a elaboração do sebo.
  • Produzem o aumento de massa muscular nas crianças durante a puberdade, pelo aumento do tamanho das fibras musculares.
  • Ampliam a laringe e tornam mais grave a voz.
  • Fazem com que o desenvolvimento da massa óssea seja maior, protegendo contra a osteoporose.

Epidídimos: são dois tubos enovelados que partem dos testículos, onde os espermatozóides são armazenados.

Canais deferentes: são dois tubos que partem dos testículos, circundam a bexiga urinária e unem-se ao ducto ejaculatório, onde desembocam as vesículas seminais. 

Vesículas seminais:  responsáveis pela produção de um líquido, que será liberado no ducto ejaculatório que, juntamente com o líquido prostático e espermatozóides, entrarão na composição do sêmen. O líquido das vesículas seminais age como fonte de energia para os espermatozóides e é constituído principalmente por frutose, apesar de conter fosfatos, nitrogênio não protéico, cloretos, colina (álcool de cadeia aberta considerado como integrante do complexo vitamínico B) e prostaglandinas (hormônios produzidos em numerosos tecidos do corpo. Algumas prostaglandinas atuam na contração da musculatura lisa do útero na dismenorréia – cólica menstrual, e no orgasmo; outras atuam promovendo vasodilatação em artérias do cérebro, o que talvez justifique as cefaléias – dores de cabeça – da enxaqueca. São formados a partir de ácidos graxos insaturados e podem ter a sua síntese interrompida por analgésicos e antiinflamatórios). 

Próstata:  glândula localizada abaixo da bexiga urinária. Secreta substâncias alcalinas que neutralizam a acidez da urina e  ativa os espermatozóides. 

Glândulas Bulbo Uretrais ou de Cowper: sua secreção transparente é lançada dentro da uretra para limpá-la e preparar a passagem dos espermatozóides. Também tem função na lubrificação do pênis durante o ato sexual.

Pênis: é considerado o principal órgão do aparelho sexual masculino, sendo formado por dois tipos de tecidos cilíndricos: dois corpos cavernosos e um corpo esponjoso (envolve e protege a uretra). Na extremidade do pênis encontra-se a glande - cabeça do pênis, onde podemos visualizar a abertura da uretra. Com a manipulação da pele que a envolve - o prepúcio - acompanhado de estímulo erótico, ocorre a inundação dos corpos cavernosos e esponjoso, com sangue, tornando-se rijo, com considerável aumento do tamanho (ereção). O prepúcio deve ser puxado e higienizado a fim de se retirar dele o esmegma (uma secreção sebácea espessa e esbranquiçada, com forte odor, que consiste principalmente em células epiteliais descamadas que se acumulam debaixo do prepúcio). Quando a glande não consegue ser exposta devido ao estreitamento do prepúcio, diz-se que a pessoa tem fimose

Imagem: Superinteressante coleções O Corpo Humano - Sexo: a Atração Vital.

A uretra é comumente um canal destinado para a urina, mas os músculos na entrada da bexiga se contraem durante a ereção para que nenhuma urina entre no sêmen e nenhum sêmen entre na bexiga. Todos os espermatozóides não ejaculados são reabsorvidos pelo corpo dentro de algum tempo.

Saco Escrotal ou Bolsa Escrotal ou Escroto: Um espermatozóide leva cerca de 70 dias para ser produzido. Eles não podem se desenvolver adequadamente na temperatura normal do corpo (36,5°C). Assim, os testículos se localizam na parte externa do corpo, dentro da bolsa escrotal, que tem a função de termorregulação (aproximam ou afastam os testículos do corpo), mantendo-os a uma temperatura geralmente em torno de 1 a 3 °C abaixo da corporal. 

Recomende este site

Clique para consultar na Bioloja:

Apresentação: Introdução à Fisiologia Humana

Apresentação: Sistema Reprodutor Feminino

Apresentação: Histologia do Aparelho Reprodutor Feminino

Apresentação: Sistema Reprodutor Masculino

Apresentação: Diferenciação e Desenvolvimento Sexual Masculino

Apresentação: Espermatogênese

Apresentação: Puberdade Masculina

Apresentação: Aspectos da Reprodução Masculina

Apresentação: Métodos Anticoncepcionais

Apresentação: Gravidez na Adolescência

Apresentação: Fisiologia e Patologias do Sistema Reprodutor Masculino

 

 

Clique para consultar no UOL Cursos Online:

Reprodução Sexuada e Embriologia

Visão psicodinâmica e distúrbios sexuais

Diabetes Gestacional

Massagem em Gestantes

A Mamoplastia Redutora

Nutrição Materno Infantil

 

Clique para consultar no Submarino:

Metodos Anticoncepcionais ANIBAL FAUNDES, CARLOS ALBERTO PETTA

Resumão Sistema uro-genital VINCENT PEREZ

Rotinas em Infertilidade e Contracepção EDUARDO PANDOLFI PASSOS, JOÃO SABINO L. CUNHA, FERNANDO FREITAS

Infertilidade Masculina NELSON RODRIGUES NETTO JUNIOR

Infertilidade Masculina: Informações Práticas MARIO PEDRO DOS SANTOS

Manual Prático de Tratamento Clínico das Disfunções Sexuais RICARDO C. CAVALCANTI

Disfuncão Sexual - Diagnóstico e Tratamento MARIO PARANHOS & MIGUEL SROUGI

Gravidez & Parto ESTELA DAVILA

Da Gravidez à Amamentação VITORIA PAMPLONA, TOMAZ PINHEIRO DA COSTA, MARCUS RENATO DE CARVALHO

Endocrinologia Ginecológica e Reprodutiva MARIO GÁSPARE GIORDANO

Endocrinologia Ginecológica LUCAS VIANNA MACHADO

Tratado de Fisiologia Médica ARTHUR C. GUYTON & JOHN E. HALL

Netter - Atlas de Fisiologia Humana  BRUCE M. KOEPPEN, JOHN T. HANSEN

Fisiologia Humana  ARTHUR C. GUYTON

Fundamentos de Anatomia e Fisiologia  DONALD C. RIZZO

 

     

www.afh.bio.br © Ana Luisa Miranda-Vilela